Formação Empreendedora

Para a maioria dos estudantes de Design e recém-formados há muitas questões e inquietações sobre como começar a trabalhar. Muitos sabem fazer design, mas não sabem o que fazer com este conhecimento no sentido de poderem viver de design. E as grandes interrogações são: O que vou fazer? Por onde começar? Como gerir meu negócio ou minha carreira, de modo a viver de design e desenvolvimento de produto?

Nesse contexto, o designer, para ser bem sucedido, não deve apenas saber criar seu próprio empreendimento, mas deve saber também gerir o seu negócio para mantê-lo e sustentá-lo em um ciclo de vida prolongado, e assim obter retornos significativos de seus investimentos. Isso significa aplicar Gestão do Design.  O gerenciamento bem-sucedido de pessoas, projetos, processos e procedimentos que estão por trás da criação de produtos, serviços, ambientes e experiências que fazem parte da nossa vida diária.

Neste projeto, procuramos reunir, compilar e produzir conteúdo voltado à Gestão do Design para motivar e mostrar a importância dessas informações para uma formação empreendedora dentro do curso de Desenho Industrial.

O trabalho ainda está em andamento, mas a pesquisa de referencial teórico mostra que há um grande número de livros, sites, vídeos e outras mídias que podem auxiliar na formação da carreira profissional bem sucedida.

Esse texto foi escrito com base nestes livros. Para te ajudar, sugerimos a leitura:

STRUNCK, Gilberto. Viver de Design.
CHIAVENATO, Idalberto. Empreendedorismo: dando asas ao espírito empreendedor.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Também sugerimos alguns links relacionados ao assunto:


Jean Paulo Pereira
Acadêmico do Curso de Desenho Industrial
Universidade Federal de Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil
Contato: jean_triplop@hotmail.com

Imagem Pessoal e Profissional

Considerando o ditado popular que diz que “uma imagem vale mais que mil palavras”, e que a profissão desenhista industrial / designer é essencialmente ligada a questões de forma, ou seja, de imagem, é imprescindível que nós, estudantes e profissionais desta área, estejamos preparados para apresentar aparência, postura e comportamento coerentes com os projetos que desenvolvemos e com o cenário onde atuamos. Primar por todos estes aspectos, além, é claro, de demonstrar competência, conhecimento e ética, pode ser vital para uma carreira bem sucedida.

Como futuros desenhistas industriais devemos ter a consciência do quão importante é, em uma sociedade cada vez mais visual, desenvolver marcas pessoais que nos permitam obter destaque no mercado, e estarmos preparados para transmitir uma boa imagem profissional (pessoal e comportamental), de modo a sermos bem lembrados e valorizados.

Uma boa imagem profissional é construída num processo, composta por comportamentos, hábitos, posturas, ética, conhecimentos, habilidades e competência, e não pode ser imposta. Ela faz parte do seu Marketing Pessoal, e deve ser construída desde já!

Pense bem: “Você recomendaria algum colega seu para um trabalho? Algum colega seu indicaria o seu nome? Você contrataria você? Tem certeza?”

Vale lembrar: A imagem não é o que você pensa ser, mas sim o que as pessoas percebem de você. O que você deseja transmitir pode não estar de acordo com a imagem que está realmente passando. Pergunte-se: Qual é a imagem que você está passando aos outros?!

Por falar em Marketing Pessoal, “Como vai sua identidade visual?”, “E o seu networking?” Ainda não pensou nisto?! Você não é o único, para a maioria dos estudantes de design ou recém-formados estas e muitas outras questões como: “O que coloco no currículo?”, “Como organizo meu portfólio?”, “Com que roupa ir numa entrevista?”, surgem quando a formatura se aproxima, ou logo após se verem com o diploma na mão.

A identidade visual define quem somos, tem valores e objetivos, e mostra a nossa origem, o nosso nome, ela é uma forma de se apresentar formalmente a sociedade. Identidade visual é tudo aquilo que vai identificar e diferenciar visualmente sua marca das demais. Você não quer ser só mais um na multidão, certo? Uma boa identidade visual demonstra seu profissionalismo e contribui para o aumento da sua credibilidade.

Mesmo que você esteja em início de carreira ou ainda não tenha terminado o seu curso, já pode ter um cartão de visitas com sua identidade visual para oferecer a algum contato interessante, potenciais clientes ou futuros parceiros, ampliando seu networking, ou seja, sua rede de contatos. Congressos, palestras, seminários e eventos do tipo são uma boa oportunidade.

Dica!

Não precisa esperar formar-se para começar a se mexer. Vamos lá?!

Esse texto foi escrito com base nestes livros. Para te ajudar, sugerimos a leitura:

PORTO, Bruno. Manual do freela: vende-se design.
FASCIONI, Lígia. Atitude Profissional [dicas para quem está começando].
FASCIONI, Lígia. O Design do Designer.

 

 

 

 

 

 

Saiba mais sobre Bruno Porto: Portfólio / Blog

Saiba mais sobre Lígia Fascioni: Site

Também sugerimos alguns links relacionados ao assunto:


Raquel Pivetta

Acadêmica do Curso de Desenho Industrial
Universidade Federal de Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil
Contato: raquelpivetta@hotmail.com

Algumas Iniciativas

O Laboratório de Gestão surgiu a partir da disciplina Gestão do Desenho Industrial, introduzida no currículo do Curso a partir de 2005.

De lá para cá, alguns trabalhos podem ser destacados. O trabalho de conclusão de curso, em 2008, de autoria de Marcelo Kunde deu origem ao ‘Typo Gestão no Design’, um pequeno manual, que tem por objetivo orientar e auxiliar designers a empreenderem na vida como profissionais liberais ou empresários de design. Para Marcelo o manual visa “ser um referencial introdutório para estudantes e profissionais de design do Brasil, quando seus anseios são de tornarem-se empreendedores e/ou empresários de design”. Compreende, em suas 42 páginas, conceitos, questionamentos e quadros, como por exemplo, comparações entre vantagens e desvantagens em trabalhar como profissional liberal, empresário individual ou em sociedade, assim como os tributos de cada categoria”. O trabalho chegou a ser comentado por profissionais de renome ligados ao Design e à Gestão do Design, como Ligia Fascioni, Chico Homem de Melo e Ligia Inham que comentou: “Em uma linguagem clara e própria do jovem designer, Marcelo discorre em seu manual Typo Gestão no Design, o caminho das pedras para aqueles que pretendem empreender com seu próprio negócio. Demonstra a importância de um plano de negócios e instrui sobre as possíveis formas de atuação no mercado profissional, com seus desafios e suas questões legais”.

Em 2009, Carla V. Gianni, que em seu trabalho de conclusão de curso intitulado ‘Por que você não pensou nisso antes? Conscientização da Importância do Design no Meio Empresarial’, concebeu um site que busca promover uma reflexão sobre o design: o que é; onde é aplicado; quem é o profissional do design; qual a importância do designer – sobretudo o designer gráfico – para as empresas; de que maneira ele pode contribuir através das suas diferentes manifestações; entre outros.

Monique Pegoraro, em 2012, também em seu TCC, buscou levar os princípios e benefícios da gestão do design a uma pequena empresa local, para qual desenvolveu um suporte para portáteis destinado a locais de convivência.

Em seu TCC, Mariana M. Rocha, em 2013 aplicou conhecimentos de design estratégico no desenvolvimento de ações para sensibilizar estudantes universitários a fim de aumentar as doações de sangue no Hemocentro Regional de Santa Maria.

Em 2014, Marianna Caroline Z. Dutra utilizou conhecimentos de Design e Gestão do Design na definição de ações para a melhoria das ferramentas de trabalho, e, dos processos 3 produtivos e comerciais, de uma indústria de vestuário de pequeno porte localizada em Santa Maria.

Já em 2015, em seu trabalho de conclusão de curso, Andressa N. Carazzo desenvolveu um jogo metodológico com base nas propostas de Design Thinking e demonstrou sua utilização por meio do desenvolvimento de um mobiliário urbano para o público universitário da UFSM.

Podem-se citar ainda as empresas Pimenta Bis Estúdio e Luderia Jogos Digitais. A Pimenta Bis Estúdio nasceu em 2010, formada pelos desenhistas industriais – projetistas de produto Mariana Piccoli e Leonardo B. Brandi, como uma empresa que atua na concepção de produtos a partir de resíduos sólidos industriais. A ideia surgiu do plano de negócios desenvolvido e apresentado na disciplina. De acordo com os sócios, a certeza veio quando o plano de negócios classificou-se em terceiro lugar no Concurso de Start-ups de Design, realizado no Encontro Nacional de Estudantes de Design, em Curitiba, em 2010. Em 2011, a partir do trabalho de conclusão de curso de Mariana – que resultou em uma proposta de metodologia para projeto de produto a partir de resíduos industriais –, as primeiras concepções da empresa foram estabelecidas. E, após alguns cursos de aperfeiçoamento na área de administração e de gestão, o estúdio deu seus primeiros passos no final de 2012, sempre com o objetivo de reduzir a grande quantidade de lixo gerado, através da reutilização ‘temperada’ com design.

Fonte: facebook.com/pimentabis

Outra iniciativa que teve início a partir de um plano de negócios, apresentado na disciplina em 2011, foi a Luderia Jogos Digitais, um estúdio de desenvolvimento de games, focado no mercado de tablets e smartphones. Instalada na Incubadora Tecnológica de Santa Maria, junto à UFSM, até 2014, funcionava sob o comando dos três sócios: Cauã F. da Silva e Felipe Dal Molin – designers gráficos, e, Guilherme Ventura – programador. Alinhada com as tendências globais do desenvolvimento de jogos digitais, o negócio da Luderia é diversão digital de qualidade. O trailer de Carmachia, primeiro jogo da empresa pode ser visto aqui.

Fonte: playluderia.com


Fabiane Vieira Romano

Professora Associada e Chefe do Departamento de Desenho Industrial
Curso de Desenho Industrial – Bacharelado
Universidade Federal de Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil
Contato: fabiromano@gmail.com

Olá!

Este projeto, desenvolvido pelo Laboratório de Gestão do Curso de Desenho Industrial da Universidade Federal de Santa Maria, tem por objetivo pesquisar e sistematizar conhecimentos, habilidades e atitudes necessárias à pratica da gestão no Design, por estudantes e profissionais da área.

Este blog surgiu a partir de pesquisas feitas pelos alunos do Laboratório, e a proposta é a de ser um repositório de referências sobre assuntos ligados à gestão do design. A intenção é disseminar informações entre os demais alunos do Curso, e também aos recém formados, para que iniciem sua vida profissional com maior segurança.

Espera-se que os futuros alunos do Laboratório continuem alimentando o blog com novas dicas, e você também está convidado a contribuir com sugestões, links e críticas na caixa de comentários.


Marília Sarmanho
Acadêmica de Desenho Industrial
Universidade Federal de Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil